sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Bye-Bye Bush?


Imagem madada pelo Brunão. Os caras que fizeram são Banksy. Muito clara a mensagem. É mais ou menos assim que funciona a irracionalidade do momento histórico, e que, apesar disto, se vangloria de seus progressos técnicos e tecnológicos através de seus megadispostos publicitários... "aproveitem, não vai durar para sempre!", "é só enquanto durar o estoque!", deveriam publicar em outdoors ou luminosos a respeito do ideário que os sustenta. Ah, aproveitando o ensejo, com Bush não vai a "era Bush". Ele só é especialmente estúpido, mas o que botou ele lá não mudou, aliás, é a mesma força que botou Obama no mesmo lugar. Aliás, é a mesma força que leva crianças para a Disney e se alimenta de lixo pasteurizado no McDonalds.

Um comentário:

Maculele disse...

Tchê, ante-ontem vi, ao vivo na BBC, a audiencia ao HIllary Clinton no senado pra sua indicação a Secretária de Estado do governo Obama. Ela tava lá, toda importante dando discurso e, junto com o texto que li do CHomsky no Le Monde Diplo de dezembro, ficou cristalizado de maneira eloquente a impossibilidade do governo Obama fazer qualquer coisa que não seja absolutamente menos ruim que o Bush fez.
Pq menos ruim? Só? Não vai melhorar?
Não. Isso é impossível! Claro que poderia falar aqui de conjuntura, crise do sistema financeiro, etc, mas um fato antecede a isso tudo: presidentes não são eleitos para revolucionar, são feitos - e eleitos - para reformar, quando muito.
Além disso, o discurso dele, apesar de toda a onda de "mudança" é claro quanto a sua postura neo-Clinton, ou seja, a impostura, dominação e o imperialismo continuam, mas ao invés de serem feitos a facão, como o Mr. BUsh fez, vai tudo ser feito com talheres de prata! Elegância Democrata! Neo-dominadores contra os dominadores mais neolíticos da familia Bush. Diferença estética, mas jamais ética.
Ou até pior, pois se houve alguma coisa interessante neste regime foi a crítica e a oposição que se fez as medidas escabrosas dos EUA muitas vezes motivadas não pela moral ou razão, mas pela completa falta de tato e obtusidade com que eram feitas.
Enfim, quem sabe isso vira um post e não um comentário heheh
abs